Águas e Saneamento

Abastecimento de água em Setúbal

A gestão das redes de abastecimento e saneamento de Setúbal representa um processo exigente e complexo, cujos objetivos só são dados como cumpridos quando alcançada a satisfação permanente dos mais de 100 mil habitantes do concelho.

Entidade responsável

Os serviços de abastecimento de água e de saneamento de águas residuais urbanas estão concessionados à empresa Águas do Sado, S.A. ao abrigo de um contrato de concessão, celebrado em 24 de novembro de 1997, por um período de 25 anos.

Os serviços acordados no contrato traduzem-se na captação, no tratamento, na distribuição de água para consumo público, na drenagem e no tratamento de águas residuais urbanas.

Ao Município cabe a execução das obras inerentes à extensão dos sistemas, nomeadamente de prolongamento para atendimento de novos utilizadores e de reabilitação, no sentido de promover a melhoria da qualidade do serviço prestado e o cumprimento das normas regulamentares em vigor.

À Águas do Sado compete efetuar os trabalhos de manutenção, reparação e conservação das infraestruturas dos sistemas, quer ao nível da construção civil, quer de equipamentos elétricos, eletrónicos, mecânicos e eletromecânicos.

Nos trabalhos de manutenção está integrada a reparação da tubagem, incluindo a respetiva substituição até ao comprimento de 15 metros no caso da rede pública de distribuição de água e até 60 metros para a rede pública de drenagem de águas residuais urbanas.

A Águas do Sado é, igualmente, responsável pela manutenção, reparação e renovação dos ramais domiciliários e contadores, excetuando os ramais executados simultaneamente com novas redes.

Como a água chega às nossas casas?

O abastecimento de água ao Município tem origem em captações subterrâneas próprias, num total de 20, repartidas por sete polos de captação, dois para a zona de Azeitão e cinco para a de Setúbal.

No total, o sistema compreende cerca de 713 quilómetros de redes e serve uma população estimada em 119 121 habitantes, a que corresponde uma taxa de atendimento de cerca de 99,4 por cento.

O sistema encontra-se dividido em cinco subsistemas principais, aos quais estão associados 17 reservatórios com uma capacidade de armazenamento total de cerca de 35 mil metros cúbicos. Este sistema integra ainda as estações elevatórias de Algeruz, Santas, Bela Vista, Pinheirinhos, Brancanes, Pinhal de Negreiros, Bassaqueira e S. Pedro.

No quadro seguinte apresenta-se, para cada um dos subsistemas, o número de reservatórios, a capacidade de armazenamento associada e as respetivas zonas servidas:

Abastecimento_agua

Reservatorio-Agua

Tratamento e controlo analítico

Dada a boa qualidade da água captada a elevadas profundidades (entre 100 e 300 metros), o tratamento consiste na adição de hipoclorito de sódio (desinfeção) em 19 pontos específicos, designadamente em captações e reservatórios.

Para monitorização e controlo da qualidade da água, a Águas do Sado possui um sistema de telegestão, que permite o controlo via remota dos níveis de cloro residual e pH nos reservatórios. Executa igualmente um exigente Programa de Controlo de Qualidade da Água (PCQA), aprovado pela Entidade Reguladora de Água e Resíduos (ERSAR), que tem por base a realização de análises regulares em mais de 300 pontos de colheita.

Os resultados obtidos nas múltiplas análises realizadas em laboratório externo acreditado confirmam a boa qualidade da água na origem e demonstram que a água distribuída está em conformidade com as normas de qualidade estabelecidas na legislação em vigor, designadamente com o Decreto-Lei 306/2007.

Das mais de três mil análises realizadas em 2013, 99,9 por cento apresentaram resultados em cumprimento dos valores paramétricos constantes no referido decreto-lei. Os resultados em inconformidade (que correspondem a 2 análises e 0,1 por cento), são relativos ao parâmetro pH, e resultam das características da água na origem, não representando qualquer problema para a saúde pública.

Os resultados das análises são periodicamente publicados no sítio da Águas do Sado na internet, afixados nas respetivas lojas e enviados à Delegação de Saúde e ao Município para publicação em edital.

Drenagem de águas residuais

O sistema de drenagem de águas residuais domésticas do Município compreende cerca de 444 quilómetros de redes e serve uma população estimada em 116 689 habitantes, a que corresponde uma taxa de atendimento de cerca de 97,4 por cento.

O sistema de drenagem de águas residuais encontra-se estruturado em 27 subsistemas que integram 12 sistemas principais: Setúbal, Figueirinha, Faralhão, Pontes, Quinta da Liroa, Mitrena, Azeitão/Quinta do Conde, Aldeia Grande, Gâmbia, Castanhos, Piedade e Portela.

Estes sistemas são constituídos por coletores, emissários, condutas e estações elevatórias, que permitem a recolha e transporte das águas residuais domésticas, desde os edifícios até ao respetivo órgão de tratamento.

Após tratamento, as águas residuais são lançadas no destino final (meio recetor), em conformidade com as condições estabelecidas na licença de descarga.

Tratamento de águas residuais

O tratamento de águas residuais no Município é efetuado em 7 Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR).

A ETAR principal, localizada na Quinta da Cachofarra, em Praias do Sado, numa zona de características essencialmente industriais, entrou em funcionamento a 15 de maio de 2003. Tem uma capacidade de tratamento equivalente a 253 mil habitantes, representando a componente industrial cerca de 56 por cento daquele valor.

A solução de tratamento implementada tem por base o sistema de lamas ativadas de média carga e incorpora as mais modernas tecnologias de tratamento de águas residuais.

Rua_Padaria_Obras_Saneamento_03 Depósito_Elevatório_da_Bela_Vista_03Estacao_Elevatoria_aguas_Residuais
Ambiente_Aguas_Residuais_ETAR

Avarias nas Redes de Águas e Saneamento

 

A Câmara Municipal de Setúbal pode receber dos munícipes participações de anomalias detetadas nas redes públicas de distribuição de água e de drenagem de águas residuais urbanas e pluviais (saneamento):

– As ocorrências reportadas pelos munícipes são tratadas de forma distinta, consoante a natureza das redes;

– As anomalias verificadas nas redes públicas de distribuição de água e de esgotos são comunicadas à Águas do Sado, empresa concessionária dos sistemas públicos de abastecimento de água e de drenagem e tratamento de águas residuais urbanas do concelho;

– Os serviços técnicos municipais competentes assumem as intervenções necessárias na resolução de anomalias ao nível da rede pública de drenagem de águas pluviais;

– A concessionária assume a gestão e manutenção dos sistemas de captação, tratamento e distribuição de água para consumo humano e de recolha, tratamento e rejeição de águas residuais domésticas e industriais de Setúbal;

– A gestão da rede pública de drenagem de águas pluviais do concelho é da exclusiva competência da Câmara Municipal;

– Roturas nas redes públicas, descargas de água na via pública, falhas no abastecimento de água potável, tampas de caixas de visita ou grelhas sumidouras danificadas ou em falta são algumas das ocorrências que os munícipes podem e devem comunicar;

– Os munícipes que desejem reportar anomalias podem preencher o formulário disponível nesta página e remetê-lo ao GAGIAS – Gabinete de Gestão de Infraestruturas de Água e Saneamento da Câmara Municipal, para o endereço gagias@mun-setubal.pt ou para o fax 265 221 242;

– Consoante a natureza da situação reportada, a autarquia comunica à Águas do Sado ou destaca uma equipa municipal para a realização de uma intervenção o mais prontamente possível;

– A comunicação de ocorrências anómalas nas redes públicas de distribuição de água e de esgotos pode também ser feita diretamente na Águas do Sado, através do sítio oficial da empresa ou do telefone 707 109 019, disponível 24 horas por dia.